Guarujá realiza estudo para integração de acupuntura na rede municipal

Da Redação

Munícipes de Vicente de Carvalho, que retiram medicamentos de alto custo para problemas respiratórios na rede pública, poderão fazer parte de tratamento de acupuntura para melhora na qualidade de vida. O Atlas da Saúde é projeto piloto da Secretaria de Saúde (Sesau), em parceria com a Universidade Nove de Julho (Uninove), e visa integrar a acupuntura asmática na Rede Municipal de Saúde.

O estudo terá duração de três meses e as avaliações médicas serão feitas, semanalmente, no Centro de Recuperação e Fisioterapia do Guarujá (Avenida Ademar de Barros, 210 – Santo Antônio). A pesquisa é um desmembramento do Atlas da Poluição, estudo que identificou picos de poluição no Distrito portuário da Cidade, que resultou no acréscimo da retirada de medicações para problemas respiratórios na rede pública.

Foram realizados testes de espirometria – técnica que identifica a atividade pulmonar, com 30 pacientes selecionados (por iniciativa voluntária) para a pesquisa na última quinta-feira (31). A atividade foi realizada na Unidade Básica de Saúde (UBS) Pae Cará, por fisioterapeutas da Universidade Católica de Santos (UniSantos) e é uma pré-avaliação para que os pacientes iniciem com a acupuntura.

A acupuntura consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo para tratamento de doenças físicas e emocionais e está incluída nas Políticas Nacionais de Práticas Integrativas e Complementares (PNPICs), que visam a implementação de tratamentos alternativos na saúde pública.

A professora de farmacologia e coordenadora do Projeto, Viviani Rastelli explica que a medida visa avaliar o impacto da poluição na qualidade de vida da população. “Qualquer tipo de medicamento possui seu efeito benéfico e reações adversas. Em longo prazo, os remédios para asma podem levar à hipertensão, diabetes e osteoporose. A acupuntura visa melhorar a qualidade de vida para que os pacientes utilizem menos medicamentos e tenham menos risco de efeitos colaterais”.

Junto da professora, participam da pesquisa alunos de Farmácia, que utilizam o estudo para iniciação científica, residência multiprofissional e pós-graduação em acupuntura.

A munícipe Juçara Aparecida Nascimento, de 64 anos, mora na Vila Rã e faz uso de Alenia para tratar a asma. “Meu medicamento é para a vida toda. Se o tratamento trouxer benefícios e for implantado na rede, será muito melhor para mim e para quem também faz uso do remédio”.

No dia 24, os pacientes participaram de uma apresentação do projeto no Sindicato dos Servidores Públicos do Guarujá (Sindserv), Jardim Boa Esperança. No local, foram abordados os benefícios da acupuntura e o passo a passo do projeto, além de questionário que avaliou a qualidade de vida e o grau asmático de cada paciente, para que fossem selecionados grupos por gravidade da doença.

Atlas da Poluição

Em parceria com a Uninove, Universidade de São Paulo (USP), Universidade Adventista de São Paulo (UNASP) e Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), a Secretaria de Meio Ambiente de Guarujá (Semam) apresentou, em setembro, os primeiros resultados do Atlas da Poluição, estudo que identificou picos de poluiçãona área portuária da Cidade.

O principal objetivo do Atlas é fornecer dados para que sejam criadas políticas públicas que visem melhorar a qualidade de vida da população da Cidade. O projeto tem duração de dois anos e está em seu nono mês de atividade. Para a pesquisa, são utilizadas bromélias barba-bode, que retém agentes poluidores em suas folhas, permitindo a coleta de dados precisos de poluição atmosférica.

O secretário de Meio Ambiente, Sidnei Aranha, também reforça a parceria da Semam com a Sesau na iniciativa. “O Meio Ambiente está mais que relacionado com nossa saúde. Não basta apenas eliminar os problemas ambientais, é nosso dever também cuidar dos moradores da região, que também sofrem com a poluição”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *