Novas flores vão colorir o jardim da praia de Santos. Bancos e lixeiras reforçam melhorias

Da Redação

Até o final deste semestre, moradores e turistas de Santos já perceberão sinais de mudança no maior jardim à beira-mar do mundo, segundo o World Records. Isso porque seus cerca de mil canteiros ganharão novas cores e contrastes com o plantio de várias espécies de plantas e flores para reforçar a beleza de um dos mais lindos cartões-postais da Cidade.

De acordo com o subprefeito da região da Zona da Orla e Intermediária, Rodrigo Paixão, o plantio de espécies que atualmente são pouco encontradas ou inexistem no jardim da praia  dará um aspecto mais bonito e renovado ao espaço. “São ações que representam zelo e carinho pela orla. A população vai perceber que o jardim estará renovado”.

Para diversificar a vegetação em todo o trecho que vai do Posto 1, no José Menino, à Ponta da Praia, as ações começarão com o plantio de mudas de palmeiras buritis. Segundo o engenheiro agrônomo da Secretaria de Serviços Públicos (Seserp), Daniel Augusto Machado, atualmente elas podem ser vistas apenas no Jardim Botânico Chico Mendes, onde existem somente duas mudas.

“Existem muitas no Brasil e é uma espécie nativa. São lindas, um espetáculo. As folhas são palmadas, em leque. A orla também vai ganhar mais arbustos e plantas de forração”.

Entre as espécies que serão plantadas estão clorofitos, vedélias, guaimbês, primaveras, azaleias roxas, acalifas, heras, pileas, dracenas vermelhas, hemerocales, alamandas e camarões.

“Essas quatro últimas dão um colorido especial à vegetação. E na próxima primavera todo o jardim estará no auge, com os resultados visíveis em todo o percurso. O jardim da praia é nossa maior atração turística e só temos que incrementá-lo, diversificando o colorido”.

Chefe do Departamento de Áreas Verdes da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), João Cirilo explicou que o formato atual do jardim da praia foi sendo construído aos poucos.  São cerca de 5,3 quilômetros de extensão e 200 mil metros quadrados, a maior área verde da Cidade. Todo o espaço abriga de 800 a 900 árvores e mil palmeiras.

“Ele é mais ou menos da década de 1920 e sua implantação foi imposta pelos moradores, que lutavam contra a especulação imobiliária”, ressaltou Cirillo. O jardim nasceu após um estudo de urbanização desenvolvido pelo engenheiro sanitarista Saturnino de Brito e herdou o nome do prefeito Aristides Bastos Machado.

Entre os anos de 1940 e 1950, ganhou fontes, postos de salvamento e o Aquário Municipal. “ A sua configuração foi surgindo aos poucos, até ele ganhar um formato neoclássico, de curvas, uma de suas principais características”.

MAIS DE 650 BANCOS E 400 LIXEIRAS

Além do novo paisagismo, o jardim da praia estará com novos bancos e lixeiras em todo o percurso também até o final deste semestre. Serão 658 bancos com base de concreto e assento de madeira maciça e 400 novas lixeiras iguais às já disponíveis, de concreto.

“Vamos substituir os bancos e lixeiras em função do tempo de desgaste e de forma a facilitar a manutenção. Os primeiros bancos já estão instalados na pista de patinação no José Menino e as primeiras lixeiras estão no Emissário Submarino, junto à torre dos jurados”.

Galeria de Image

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *