Técnica em enfermagem presta atendimento em linguagem de sinais em Guarujá

Da Redação

Em tempos de pandemia se faz importante a comunicação por meio da Lígua Brasileira de Sinais (Libras) na assistência à saúde ao deficiente auditivo. Em Guarujá, no posto volante, em frente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Vicente de Carvalho (Av. São João, 111 – Pae Cará), que integra o Plano Contingente de Coronavírus, a técnica em enfermagem, Beatriz Queiroz, presta atendimento à pacientes se comunicando por meio da Libras.

“A comunicação é essencial para um atendimento de qualidade. Sem ela, o paciente não consegue relatar suas queixas e o profissional pode entender errado e passar algum tratamento que não seja adequado”, comenta a técnica em enfermagem.

Beatriz conta que iniciou seus estudos em Libras com colegas de escola, que possuíam deficiência auditiva, e depois fez aulas com seu pai. Para ela, é de suma importância poder ajudar essas pessoas com as dificuldades do dia a dia, que às vezes podem parecer simples para quem não convive com alguma deficiência.

No trabalho, ela faz questão de sempre avisar seus colegas que domina a língua. Assim, quando há algum paciente com deficiência auditiva, eles já sabem a quem chamar, para que possa haver uma boa comunicação entre o paciente e o profissional de saúde.

“Para mim, esse tipo de atendimento é de extrema importância. Sem comunicação, você não consegue ser atendido, não consegue relatar suas queixas e não tem atendimento de qualidade. Nós da saúde devemos estar preparados para qualquer tipo de paciente. Devemos ter empatia e pensar nas necessidades de cada um, porque cada paciente é único”, explica Beatriz.

Balanço dos postos volantes

Os postos volantes com carretas e tendas fazem parte do Plano Contingente de Coronavírus e atendem pacientes que apresentam sintomatologia respiratória.

O posto volante instalado em frente à UPA Matheus Santamaria (Av. Santos Dumont, 856 – Santo Antônio) totalizou, até a última quarta-feira (6), 4.137 atendimentos. Já na estrutura em frente à UPA de Vicente de Carvalho, foram realizados 2.463, somando 6.600 atendimentos nos dois equipamentos.

As tendas de descontaminação, com duchas que desinfectam as roupas a fim de evitar a contaminação pelo novo coronavírus, já realizaram 2.676 atendimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *