Mais de 260 moradias já foram demolidas nas áreas atingidas

Da Redação

A Defesa Civil de Guarujá prossegue com os trabalhos de vistoria nos morros atingidos pelas fortes chuvas, no início do mês de março. Até a última sexta-feira (8), 264 moradias já haviam sido demolidas e outras 240 estão interditadas. Um total de 524 famílias já recebe o benefício de locação social, no Município.
As interdições seguem critérios técnicos para determinar se as casas possuem condições de serem habitadas ou interditadas. Essas medidas levam em conta a instabilidade do terreno, trincas e rachaduras, distância entre a moradia e a encosta, escorregamentos antigos e dano estrutural. Caso haja danos estruturais, como trincas em colunas e vigas, por exemplo, a interdição pode ser permanente ou até mesmo a casa pode ser demolida.
Entre as áreas que tiveram vítimas fatais, como o Morro da Bela Vista (Macaco Molhado), na Vila Edna, foram 141 moradias demolidas e 29 interditadas; já na Barreira do João Guarda, na Enseada, são 62 casas demolidas e 56 interditadas. Outras sete áreas também seguem com vistorias diárias.
DesinterdiçõesApós avaliação dos técnicos da Defesa Civil, outras 297 moradias, nas áreas atingidas, foram desinterditadas e os moradores puderam retornar para a residência. As famílias são orientadas a seguir os parâmetros do Plano Preventivo da Defesa Civil (PPDC). O plano tem por objetivo principal evitar a ocorrência de mortes, com a remoção preventiva e temporária da população que ocupa as áreas de risco, antes que os escorregamentos atinjam suas moradias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *