COMEÇAM AS OBRAS DE RECUPERAÇÃO DO CANAL DA AV. ATLÂNTICA

Com investimentos da ordem de pouco mais de R$ 800 mil, a Prefeitura de Guarujá iniciou, no último dia 8, as obras de requalificação e desassoreamento do canal da Avenida Atlântica, trecho entre as avenidas Miguel Estefno e Dom Pedro I, na Enseada.

Os serviços de recuperação, que começaram com a limpeza e desassoreamento da parte aberta do canal e de bocas de lobo vão atender uma extensão de 970 metros com várias intervenções, como reparos nas passagens de pedestres e em guias e sarjetas, por exemplo.

O canal da Avenida Atlântica é caracterizado como o principal receptor de águas daquela bacia, conforme plano de macrodrenagem municipal. Depois de vistoria realizada por técnicos da Secretaria Municipal de Operações Urbanas (Seurb), foi identificado que o equipamento comporta vazão insuficiente para o volume de água requerido para aquele local e, por isso, a necessidade das obras.

A Prefeitura deve iniciar nos próximos dias a recuperação estrutural do referido canal, haja vista que vários pontos do equipamento estão danificados. No trecho a céu aberto, os serviços de limpeza foram feitos e finalizados com equipamentos mecanizados. Já na parte coberta, ou seja, em quase 80% da estrutura, equipes atuarão na limpeza e desassoreamento de forma manual.

De acordo com a Seurb, as obras de reestruturação e limpeza do sistema de drenagem do canal da Avenida Atlântica visam dar maior vazão às águas pluviais e, consequentemente, evitar alagamentos e prevenir enchentes em períodos chuvosos, naquela região.

Para execução das obras, a Prefeitura de Guarujá firmou convênio com o Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Recursos Hídricos. Os serviços são realizados por meio do contrato nº 310/2020, a cargo da Teto Construtora S/A, empresa vencedora da licitação pública.

O convênio com o Fehidro liberou R$ 801.406,89, que serão investidos na demolição e remoção de interferências na parte interna ao longo do canal; reconstrução das paredes e mureta danificadas; reforma de bocas de lobo, incluindo as tampas; reconstrução do passeio público e implantação das faixas de pedestres.

O projeto também prevê a execução de reparos e rebaixamento das guias e sarjetas nos locais em que estas se encontram danificadas, além de pintura e toda sinalização viária necessária para a segurança de pedestres e veículos da via existente ao longo do canal. O prazo para conclusão da obra é de 12 meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *