Portal Megalópole

Notícias GUARUJÁ

Capoeira Inclusiva gradua 36 Pessoas com Deficiência em Guarujá

Alunos participam de aulas, há cinco anos, que têm como ponto forte atender pessoas com deficiência física e/ou cognitiva

Capoeira Inclusiva gradua 36  Pessoas com Deficiência em Guarujá
Hygor Abreu/PMG
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

 Fomentando a inclusão por meio da capoeira, Guarujá graduou 36 Pessoas com Deficiência (PCDs) na última quinta-feira (19), no projeto da Capoeira Inclusiva. O evento aconteceu na Associação dos Deficientes da Ilha de Santo Amaro (Adisa), que coordenou todo o processo, em parceria com a Prefeitura.

A iniciativa existe há cinco anos. Nela, pessoas com deficiência física e/ou cognitiva têm aulas específicas da modalidade, duas vezes por semana. A ação contou com o apoio de emenda parlamentar de R$ 150 mil da senadora Mara Gabrilli.

Com o valor, foi elaborado o projeto, que teve aprovação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social (Sedeas), apoiadora da ação. Uma van foi alugada por oito meses para auxiliar na condução dos alunos. Também foram adquiridos uniformes.

A graduação contou com a presença do secretário municipal de Comunicação e Relações Sociais, Tadeu Ferreira Junior. “A capoeira é hoje uma das principais ferramentas de inclusão dentro das políticas públicas desenvolvidas pelo Município. A Prefeitura está atenta e pronta a apoiar iniciativas que apresentam resultados tão profícuos, como os que estamos constatando aqui hoje”, destacou.

Guilherme Andrade foi um dos alunos graduados. “Estou muito feliz. A capoeira é um ótimo esporte para mim, aprendi muitas coisas e a cada dia estou mais envolvido. As aulas são ótimas”, contou.

Outra graduada foi Mariana Ramos da Silva. “Meu sonho sempre foi fazer capoeira e está se realizando. Não é só meu sonho, mas de muitos que estão aqui. Estou extremamente feliz”, afirmou.

 

Aulas para todos

As aulas são comandadas pelo Mestre Nuvem, que se tornou PCD após sofrer um quadro de isquemia. Elas acontecem todas as terças e quintas-feiras, das 15 às 17 horas, na seda da Adisa (Rua Josefa Hermínia Caldas, 534 – Jardim Progresso).

Mesmo tendo como ponto forte o atendimento a alunos com deficiência, qualquer pessoa a partir de 14 anos pode participar. Para se inscrever basta comparecer na Adisa, ou entrar em contato pelo telefone (13) 3352-1700.

FONTE/CRÉDITOS: REDAÇÃO
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, denúncia, estaremos respondendo assim que possível ; )